Buscar
  • Juliana Dias

CAMINHOS DA AUTORIA: reescrever 2020 para escrever 2021- comunidade de escrita criativa de Cris Reis

Atualizado: 24 de nov. de 2020

Vamos começar a publicar textos de alguns/as de nossos/as cursistas. Aproveitamos para agradecer a parceria primorosa entre a equipe pesquisadora do GECRIA e as comunidades de escrita criadas em 2020.

Reescrever significa tornar a escrever. É ver e rever mais uma vez aquilo que a distração nos tirou, é descobrir o que já estava lá mas ainda não tínhamos percebido. É ter de volta as infinitas possibilidades que a escolha de cada palavra expressa. Ao escolher uma palavra, você desiste de outra. Ao escolher um verbo e não um substantivo, você está escolhendo o movimento e não a observação. É a oportunidade de reler memórias, acontecimentos, sentimentos e verificar o que está sendo repetido, se há algo que já está situado num padrão de comportamento que nem começou em você. É a chance de colocar ali naquela folha em branco outras palavras que expressem quem você é e não que o que outras pessoas dizem que você é. É a hora de identificar palavras, cortar algumas outras, sentir como o texto é construído por meio da sua escolha linguística, é sair da cópia.

"Reescrever é olhar para  as palavras-mundo que  estão ocupando espaço interno com dores, ressentimentos e mágoas e escolher peneirá-las, ou seja, reconhecer os aprendizados que elas nos trouxeram e ativar a gratidão pelo ensinamento recebido. " (Cris Reis)


PROPOSTA DE ESCRITA: DICIONÁRIO DO AMANHÃ


Vamos peneirar palavras?

Em grupos com quatro pessoas, os participantes leram uns para os outros seus textos escritos (o tema foi “Eu não sabia…”). No momento da partilha, enquanto ouviam os textos uns dos outros, cada pessoa fazia uma lista com as palavras que mais lhes causavam dor, desconforto, tristeza. De volta ao grande grupo, fizemos uma reflexão sobre a importância de perceber tudo o que nos acontece como um presente que veio nos ensinar algo importante, identificar esse ensinamento, agradecer a oportunidade do aprendizado e, a partir dessa vivência pessoal, atribuir um significado novo à palavra peneirada.


Palavra: Solidão (por Christiane Peres)

Agradecimento: Agradeço a possibilidade de aprender a estar comigo.

Aprendizado: Deixei de estar a serviço dos outros. Passei a me perceber; encarar meus medos e desejos. Passei a escutar a minha voz, mesmo que nem sempre fosse o que gostaria de ouvir. Aprendi a gostar da minha companhia.

Novo significado: Solidão: é a possibilidade de transformação. É aprender a estar consigo e não delegar ao outro nosso bem-estar. É olhar com amorosidade para si.


Palavra: Abuso (por Simone Catalan)

Agradecimento: Abuso obrigado. Com você eu aprendi a perceber a minha fortaleza, a conviver com a dor, a ter flexibilidade na vida, a reconhecer a fragilidade da criança, mas também a perceber a criatividade que emana. Te agradeço por ter estado presente. Chega parecer bizarro, agradecer, mas hoje as marcas impregnadas em meu corpo me possibilitam ter a coragem para viver. Sabe por quê?

Aprendizado: Abuso a sua existência, me possibilitou hoje, acolher a minha dor, com alegria e beleza. Sei que sairei mais forte de todos os processos. Afinal a sua existência me permite ser forte para mesmo na inocência não permitir a sua permanência.  

Novo significado: Abuso: marca profunda de uma “não cultura” social, que deveria ser abolida da existência, mas que, após surgida, deve ser acolhida, acarinhada, verbalizada, denunciada para, enfim, ser curada. A cura vem com as marcas e com a musculatura adquirida na luta de se manter com a beleza da infância. 


Palavra:   DOR (por Camile Milagres)

Agradeço à palavra dor a oportunidade de, enfim, ter a coragem de encará-la nesta pandemia. Eu tinha o vício de estar sempre bem, espantar a dor, guardá-la debaixo de tapetes mentais; agradeço, então, que desta vez não precisei fazer isso. Eu tive espaço e tempo para olhar pra você, DOR, e, desta vez, não sair correndo. Preferi você ao vírus do COVID. 

Aprendi com a DOR que, quando eu a abraço, fico muito mais perto de minha inteireza, e desta forma me sinto amada e protegida por mim mesma. 

Novo significado:  Dor é um esconderijo dentro de mim, onde posso entrar para me amar.


Palavra: Ausência (por Lenilson da Costa)

Agradeço-te, Ausência, por, em outros tempos, me ser tão presente. Por me mostrar que eu importo e que me importo. Agradeço-te, Ausência, por ter me ensinado que se esvaziar de mim pode até ser bom, mas travestir-me, transbordar-me de mim até virar mar e oceano; galáxias e supernovas é um renascer a cada átimo de segundo.

Novo significado: Ausência, tu que és presença cheia de vazios possíveis que me levam a um estado sem tempo e com endereço, Ausência, eu te agradeço. 


E como será peneirar PALAVRAS para você? Quer participar do nosso DICIONÁRIO DO AMANHÃ. Deixa seu texto nos comentários!





72 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo