Buscar
  • Juliana Dias

Abrindo as janelas de 2021:

Janela, palavra linda.

Janela é o bater das asas da borboleta amarela.

Abre pra fora as duas folhas de madeira à-toa pintada,

janela jeca, de azul.

Eu pulo você pra dentro e pra fora, monto a cavalo em você,

meu pé esbarra no chão. Janela sobre o mundo aberta, por onde vi

o casamento da Anita esperando neném, a mãe

do Pedro Cisterna urinando na chuva, por onde vi

meu bem chegar de bicicleta e dizer a meu pai:

minhas intenções com sua filha são as melhores possíveis.

Ô janela com tramela, brincadeira de ladrão,

claraboia na minha alma,

olho no meu coração.

(Adélia Prado)


Vamos começar o ano escrevendo com a inspiração de Adélia? Como estão suas 'janelas' para este ano? Vale incluir as janelas da internet- os famosos 'quadradinhos' do mundo virtual; vale também sua janela real, aí da sua morada, ou mesmo as janelas dos seus olhos, do coração, da sua alma poeta...

O exercício é o seguinte: (i) escrever 20 minutos sem interrupções, assim que você acordar pela manhã; (ii) não usar nenhum 'que' em seu texto. Na reescrita: (iii) cortar 30 palavras; (iv) deixar o texto 'dormir'; (v) e reescrever no dia seguinte, pela manhã, assim que acordar. Quer partilhar o resultado ou o processo com a gente? Posta nos comentários!

Feliz 2021!





58 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo